fbpx

Vinho Verde: de corpo leve, fresco e ligeiramente cítrico

O que é
Vinho Verde?

Vinho Verde não é, efetivamente, um vinho de cor verde. Tradicionalmente, o Vinho Verde é um vinho branco, embora disponível em opções brilhantes e coloridas, como Tinto ou Rosé, feitas a partir de misturas de uvas autóctones para obter um corpo leve, palato fresco e textura enérgica.

Feito da mistura de uvas autóctones para alcançar o equilíbrio perfeito entre leve, porém acídico, equilibrado, frutado e harmonioso. Um vinho jovem, melhor consumido no prazo de um ano desde a colheita para obedecer à sua frescura.
“Vinho Verde” deriva da juventude da sua textura e paladar, bem como da exuberante paisagem de folhagem verde e densa da Região dos Vinhos Verdes.

A Região dos Vinhos Verdes, devido às suas características climáticas e terroir peculiares, destaca-se pela produção vinícola de vinhos frescos com baixo teor alcoólico, devido à influência do Oceano Atlântico, os ventos do mar, o clima ameno, a alta precipitação e o solo granítico – combinados num microclima diferenciador na produção de vinhos leves, frescos e igualmente refrescantes.

O Vinho Verde é frisante?

Este Vinho Verde desenvolve pequenas bolhas visíveis no copo quando servidas, causadas pelo processo de fermentação malolática natural da vinificação. Em termos sensoriais, o corpo é leve, de palato cítrico e de sensação refrescante.


À medida que os ácidos das uvas se transformam em açúcar, o nível de acidez diminui e a quantidade de álcool aumenta, deixando ao produtor a decisão sobre a relação e o equilíbrio de sabor. Estes Vinhos Verdes contém um teor de álcool relativamente baixo, harmonizando com as suas características leves e equilibradas.

Porque é
o Vinho Verde
tão leve e fresco?

Particularmente leve e especialmente perfumado com nuances cítricas, o Vinho Verde tem um acabamento refrescante proporcionado por uma mistura equilibrada de variedades autóctones, predominantemente Arinto e Azal como base, e variando de acordo com sua cor e características: Vinho Verde Branco, Rosé ou Tinto.


Banhada pelos rios Douro e Minho, a Região dos Vinhos Verdes possui um microclima específico: clima ameno, alta precipitação, influência do Oceano Atlântico próximo e dos ventos do mar, além de solos graníticos – uma simbiose de factores naturais que proporciona vinhos leves, acídicos e refrescantes, únicos no mundo.

Castas

Arinto

Uma variedade de uva branca das mais antigas colhidas em Portugal. Produz vinhos jovens, frescos, vibrantes e minerais, com notas de limão, semelhante a Pinot Blanc ou Chenin Blanc seco.

Loureiro

Nobre variedade de uvas, conhecida por seus aromas pungentes de laranja e tília com uma acidez natural harmoniosa.

Trajadura

Uva tipicamente de mistura para maior sabor e ousadia, com notas de peras e pêssegos maduros. Combina perfeitamente com a casta Loureiro para proporcionar um vinho mais proeminente.

Borraçal

De bagos negros-azulados e de vinhos rubi avermelhados, é uma casta tinta rústica, acídica, vivaça e perfumada.

Vinhão

Uva de cor pesada da Região do Douro D.O.C., produzindo os vinhos mais escuros e opacos. Apresenta um paladar rústico forte, textura encorpada com altos níveis de acidez.

Amaral

Uva rústica de cor rubi, produzindo aromas picantes e texturas arrojadas e encorpadas.

A Região dos Vinhos Verdes

Feito a partir de uma mistura de uvas autóctones, Vinho Verde é um pedaço de história num copo.
Considerado um cenário nacional e legalmente reconhecido como tal no início dos anos 60 como um D.O.C. – Denominação de Origem Controlada, a Região dos Vinhos Verdes aumentou seus esforços tradicionais de vinificação, principalmente devido às suas castas autóctones, que produziram vinhos com baixo teor alcoólico, frescos e jovens, únicos no mundo.

As nove sub-regiões de Vinho Verde possuem microclimas muito diferentes, atingindo profundidades, sabores, texturas e percentagens de álcool dissemelhantes, variando de 9% a 14% vol., com mais de 47 variedades de uvas e inúmeras opções de mistura para obter um sabor peculiar, embora sempre compartilhando a leveza e a juventude em cada copo. A singularidade, a acidez, a textura buliçosa e o paladar final em cada trago conquistam o coração de cada vez mais amantes do vinho em todo o mundo.